IDEAC Instituto para o Desenvolvimento Educacional, Artístico e Científico

Confira a entrevista de Maria Celia de Abreu no Jornal Gente

1 comentário

ideac_estudio
A psicóloga Maria Celia de Abreu, coordenadora do Ideac, participou de uma longa entrevista no Jornal Gente da Rádio Bandeirantes, conversando com os jornalistas Salomão Ésper, Rafael Colombo e José Paulo de Andrade (ordem na foto), sobre vários temas ligados à maturidade. Inicialmente Maria Celia respondeu a pergunta sobre idade cronológica e destacou as diferenças individuais. Exemplificou com o cenário de um berçário, onde os bebês acabaram de nascer e já são diferentes; vão se transformando pela vida de acordo com as suas experiências, e quando chegam na maturidade as diferenças individuais são naturalmente enormes. Lembrando que as pesquisas da ciência da Psicologia sobre o envelhecimento são relativamente recentes, pois só se intensificaram a partir da metade do século passado, ela disse que gosta muito da proposta de que em cada etapa da vida se tem uma tarefa psicológica a ser cumprida. “A criança precisa aprender a confiar, o adolescente a buscar sua identidade e descobrir quem ele é, o adulto jovem aprende a conviver com outra pessoa e dividir a vida. E qual a tarefa do adulto maduro? É devolver para o mundo coisas que amealhou nas fases anteriores. O adulto jovem, por exemplo, se firma profissionalmente, forma amizades, ocupa um lugar na sociedade e na família, junta bens materiais. Cabe ao idoso, desde que se tenha as necessidades básicas supridas, colher os frutos do que plantou e devolver para a sociedade o que dela recebeu; é tempo para aconselhar, dar consultoria, fazer trabalhos voluntários, orientar, ouvir, oferecer bolsas de estudo”… Dra. Maria Celia acha um privilégio o ser humano ter a capacidade da resiliência. Na maturidade o importante é ter flexibilidade, é não ser rígido. É preciso compreender que cada fase tem suas características, sem julgamentos de valor de qual será a melhor; é como se fosse um nova paisagem que se descortina diante da estrada da vida. Outro fator que facilita muito a boa qualidade de vida é ser ativo, é ir em busca de tudo aquilo que puder aproveitar para viver melhor esse momento. Sem rigidez e sem passividade, com adaptabilidade e com ação, a velhice pode ser uma fase muito prazerosa e ocasião para profundo crescimento pessoal.

Confira a íntegra da entrevista

Anúncios

Um pensamento sobre “Confira a entrevista de Maria Celia de Abreu no Jornal Gente

  1. A entrevista está excelente e Maria Celia abordou vários aspectos da maturidade. Os três jornalistas foram ótimos e foram vários ouvintes ligando para a rádio e elogiando. Vale a pena ouvir a íntegra

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s