IDEAC Instituto para o Desenvolvimento Educacional, Artístico e Científico


Deixe um comentário >

O aumento da longevidade também é uma das preocupações da TV Globo. Prova disso é a realização recente da Oficina “Os experientes” para autores do projeto do Departamento de Desenvolvimento e Acompanhamento Artístico da Emissora, que foi conduzida pelas psicóloga Dra. Maria Celia de Abreu, coordenadora do Ideac. Cerca de 30 autores do núcleo participaram da oficina. À frente do DAA está a autora Glória Perez. A proposta da oficina foi levar informações sobre a maturidade para os autores envolvidos na elaboração de roteiros para a segunda temporada da série “Os experientes”. A Dra Maria Celia de Abreu tem alguns livros na área do envelhecimento, sendo o mais recente “Velhice, uma nova paisagem”. Ela falou sobre temas que podem ser úteis para a concepção de histórias que envolvem o envelhecer.

Anúncios


Deixe um comentário >

Foto Jader Andrade

O envelhecimento da população está trazendo muitas mudanças na vida de todos nós. Pessoas vivendo mais necessitam de cuidados especiais, mas nem sempre os familiares estão preparados para assumir esse papel. “Falta para os cuidadores um espaço para adquirir informação emocional, formação continuada, um local para trocar ideias e vivências. Principalmente, falta quem tenha conhecimento para sugerir soluções e aprimorar o trabalho do cuidador, confirmando sua valorização e eficiência”. Quem diz isso é a a psicóloga Maria de Lourdes Junek, experiente em psicoterapia para idosos e em formação de cuidadores profissionais e familiares. A partir de junho ela coordenará o Grupo de Apoio ao Cuidador Familiar realizado semanalmente pelo Ideac, até dezembro.

Lourdes acredita que o mais importante é apoiar e ajudar os cuidadores a garantir o bem-estar de seus pacientes: “É preciso estar alerta aos sinais importantes, cuidar da alimentação incentivando o prazer do paladar, seguir as orientações dos médicos e, principalmente, evitar situações de medo, de desconforto e desencadeadoras de estresse para os dois lados, por exemplo, as visitas inconvenientes e conversas tristes”, ensina.

Outro ponto levantado pela psicóloga é a necessidade de respeitar escolhas possíveis: “A pessoa já está passando por uma fase difícil de dependência e deve ser respeitada. Por que não deixar que escolha roupas, os livros que serão lidos ou os passeios?”

Os Grupos

Com esse projeto, o Ideac oferece um espaço para que o Cuidador Familiar possa compartilhar sua experiência e conhecer ferramentas para melhor lidar  com as situações com as quais for se deparando na  rotina diária, ou nas situações emergenciais.

Por isso é importante trocar experiências com pessoas dispostas a ouvir suas dificuldades. “Palpites e críticas atrapalham muito. Os cuidadores geralmente sentem-se muito pressionados pela família e precisam ganhar segurança para ter seu trabalho valorizado”, comenta Lourdes.

O estresse do cuidador também é um ponto que terá destaque durante os encontros. “Muitas vezes o familiar que assumiu a função de cuidador tem um excesso de responsabilidades que, se não for cuidado, fará com que ele passe dos limites e comprometa o trabalho. A consciência do estresse, conversas e pequenas divisões de tarefas costumam amenizar todo o peso. Ele precisa se abastecer de outro lado para manter o equilíbrio”, aconselha a psicóloga.

Cuidar de um parente também implica em administrar os afetos e ter coerência e firmeza nas decisões para evitar manipulações e chantagens.  Respeitar a fragilidade e dar carinho, mas com a consciência que está fazendo o melhor, mesmo quando contraria a pessoa dependente.

Objetivo e Metodologia 

A proposta de Maria de Lourdes Junek é trabalhar técnicas que facilitem a livre expressão e a comunicação dos participantes, dentro de um clima de aceitação e respeito, visando aprofundar a percepção da própria realidade, promover análises críticas e, havendo necessidade, ter uma orientação teórica que vise melhorar aspectos dessa fase de vida como cuidador. Ela trabalha com um grupo de no máximo quinze pessoas.

Organização

O Ideac  oferece encontros semanais, às quintas-feiras, das 18:00 às 20:00,  de 07 de junho até 13 de dezembro/2018.

Para melhor atender aos participantes, cujas realidades podem se modificar ao longo dessas 25 semanas, o compromisso com o Ideac é renovado a cada 4 encontros; essa flexibilidade dará abertura para novos participantes aderirem ao grupo.

Investimento

A inscrição poderá ser feita para 4 encontros, 8 horas no valor total de  R$232,00 (valor mínimo) –  Ou para 25 encontros – 50 horas : 1.450,00 ( valor máximo)

Inscrições e informações: cadastro@ideac.com.br ou pelos telefones (11) 3885-0091 e 99946-3554.

Nossas redes sociais

Site:  http://www.ideac.com.br/

Blog: https://ideacblog.wordpress.com

Facebook: https://www.facebook.com/ideacnovo/

Twitter:  @ideacnovo

Canal do Youtube: O novo da velhice


Deixe um comentário >

Pequenos lapsos de memória podem ser normais, mas assustam. Nosso cérebro precisa de exercício para funcionar bem e evitar a perda de neurônios que chega com a idade. Quando você aprende a turbinar seu cérebro, consegue melhorar a memória, ter mais concentração, exercer a criatividade e ter mais facilidade de aprendizado.

A Oficina de memória e criatividade do Ideac, realizada em oito encontros, sempre às terças-feiraspela especialista Sonia Fuentesé destinada a pessoas interessadas em desenvolver e exercitar sua memória e em aperfeiçoar estratégias de prevenção de problemas a ela relacionados. Além do conteúdo básico teórico para compreender o funcionamento dos mecanismos do cérebro, haverá práticas para o aprimoramento da memória. Entre as práticas, por exemplo, os participantes vão aprender a fazer os tsuros (foto abaixo), origamis símbolos da saúde, da boa sorte, felicidade, longevidade e da fortuna.

Quanto mais desafios e atividades de estímulo à memória nos impusermos, menores serão, ao longo da vida, os riscos de déficit. Segundo vários estudos, a rede sináptica é dinâmica e pode ser ampliada durante toda a vida. Usar o cérebro permite formar novas conexões com outros neurônios.

Como será 

Coordenação: Dra. Sonia Fuentes, Doutora em Psicologia Clínica pela PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo). Mestre em Gerontologia pela PUC-SP. Especialista em Geriatria e Gerontologia pela Escola Paulista de Medicina. Especialista em Medicina Psicossomática pela ABMP. Especialista em Cinesiologia pelo Instituto Sedes Sapientiae.

Duração: 2 meses (8 encontros)

Abril: dias 03,10, 17 e 24; Maio, dias 08,15, 22 e 29

Às terças-feiras:

Horário: das 14 às 16 horas

Local: Rua Pamplona, Jardim Paulista, São Paulo, SP.

Limite de inscrições: até 15 participantes

Valor total: R$ 430,00 para participantes do Ideac / R$ 465,00 para novos

Inscrições pelo e-mail cadastro@ideac.com.br ou pelos telefones (11) 3885-0091 e 99946-3554

Nossas redes sociais

Site:  http://www.ideac.com.br/

Blog: https://ideacblog.wordpress.com

https://www.facebook.com/ideacnovo

Twitter:  @ideacnovo

Canal do Youtube O novo da velhice


Deixe um comentário >

“É preciso mais que uma memória para se ter uma boa memória”

Izquierdo

Nosso cérebro precisa de exercício para funcionar bem e evitar a perda de neurônios que chega com a idade. Pequenos lapsos são normais, mas quando você aprende a turbinar seu cérebro consegue melhorar a memória, ter mais concentração, exercer a criatividade e ter mais facilidade de aprendizado. A Oficina de memória e criatividade, a partir de 3 de abril e em oito encontros, é destinada a pessoas interessadas em desenvolver e exercitar sua memória e em aperfeiçoar estratégias de prevenção de problemas a ela relacionados. Além do conteúdo básico teórico para compreender o funcionamento dos mecanismos do cérebro, haverá práticas para o aprimoramento da memória. Quanto mais desafios e atividades de estímulo à memória nos impusermos, menores serão, ao longo da vida, os riscos de déficit. Segundo vários estudos, a rede sináptica é dinâmica e pode ser ampliada durante toda a vida. Usar o cérebro permite formar novas conexões com outros neurônios.

Como será 

Coordenação: Dra. Sonia Fuentes, Doutora em Psicologia Clínica pela PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo). Mestre em Gerontologia pela PUC-SP. Especialista em Geriatria e Gerontologia pela Escola Paulista de Medicina. Especialista em Medicina Psicossomática pela ABMP. Especialista em Cinesiologia pelo Instituto Sedes Sapientiae.

Duração: 2 meses (8 encontros)

Abril: dias 03,10, 17 e 24; Maio, dias 08,15, 22 e 29 (terças-feiras)

Horário: das 14 às 15h30.

Local: Rua Pamplona, Jardim Paulista, São Paulo, SP.

Limite de inscrições: até 15 participantes

Valor total: R$ 430,00 para participantes do Ideac / R$ 465,00 para novos (à vista ou em duas parcelas)

 

Inscrições e informações:

Site:  http://www.ideac.com.br/

Blog:  https://ideacblog.wordpress.com

Facebook: https://www.facebook.com/ideacnovo

Twitter: @ideacnovo

Canal do Youtube: O novo da velhice:

Inscrições pelo e-mail cadastro@ideac.com.br ou pelos telefones (11) 3885-0091 e 99946-3554.


Deixe um comentário >

2018 está começando e o Ideac já abriu as inscrições para os encontros do projeto “O novo da velhice”, a partir do dia 7 de março. Não se trata de um grupo de psicoterapia, embora seja coordenado pela psicóloga e escritora Maria Celia de Abreu, autora de “Velhice, uma nova paisagem”. São encontros para aprofundar o conhecimento sobre o processo de envelhecimento, nosso e dos outros, fincar os pés no momento presente e lançar o olhar sobre o futuro.

“O envelhecimento é um processo sobre o qual conversamos pouco, temos pouca informação, pensamos pouco e que desperta em nós sentimentos e emoções variadas”, comenta Maria Celia, reforçando a vantagem de tirar um tempo para pensar sobre ele.

O novo da velhice vai tratar de temas que muitas vezes nos preocupam, mas não temos oportunidade de falar sobre eles publicamente. Por exemplo, verdade, sentido da vida, a projeção do que eu quero para meu futuro, meus limites, depressão, solidão, testamento biológico, novos papéis familiares, valores, mágoas, história de vida, ressignificação, incontinência urinária e outros.

“Por estarmos em grupo, a troca de experiência se torna enriquecedora, permite que a gente veja aspectos novos nos outros e em nós mesmos. Tudo será em um clima de uma conversa gostosa, com respeito à individualidade e à história de cada um, com otimismo, com leveza e alegria. A proposta é refletir sobre temas que podem até ser dolorosos, mas vamos nos divertir também”, explica a psicóloga.

Como será 

Duração do curso: 4 meses (9 encontros quinzenais)

Às quartas-feiras:

(Março: 07 e 21 / Abril: 04 e 18  /  Maio: 09; 16 e 30  /  Junho: 13 e 27)

Horário: das 18:30 às 20:00hs.

Limite de inscrições: até 15 participantes

Valor total: R$ 360,00 para participantes do Ideac / R$ 390,00 para novos (à vista ou em duas parcelas)

 

Sobre Maria Celia de Abreu

Formada na primeira turma de Psicologia da Faculdade São Bento, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), em 1968.  Na mesma universidade, concluiu mestrado e doutorado em Psicologia da Educação. Foi professora universitária e na PUC-SP esteve envolvida com planos pioneiros, como a criação do Laboratório de Psicologia Experimental e do Serviço de Apoio Pedagógico ao Professor Universitário (Sedape), e a implantação do projeto do Ciclo Básico de Ciências Humanas e Educação. Psicoterapeuta, atendeu em clínica particular por quase 30 anos. Fundou e coordena até hoje o Ideac – cujo foco principal, desde 1992, é a psicologia do envelhecimento. É autora de livros sobre o envelhecimento, sendo o mais recente  “Velhice, uma nova paisagem” (Editora Ágora).

 

Inscrições e informações

Local: Sede do Ideac: Rua Pamplona 1326,  cjto 111, Jardim Paulista, São Paulo

Inscrições pelo e-mail cadastro@ideac.com.br ou pelos telefones (11) 3885-0091e (11) 99946-3554.

Acompanhe nossas redes sociais:

Site  http://www.ideac.com.br/

Blog https://ideacblog.wordpress.com/2014/08/05/o-ideac-espera-por-voce/

Facebook  https://www.facebook.com/ideac.ideac

Twitter  @ideacnovo

Canal do Youtube – O novo da velhice: https://www.youtube.com/channel/UCZUOeC1TWxG9S3NddHYGz6w


Deixe um comentário >

Espiritualismo, religiosidade, materialismo… Afinal, qual é o sentido da vida? Esse é o tema principal dos quatro encontros coordenados pelo psicólogo e pedagogo Enéas Martim Canhadas no Ideac, com a proposta de criar um espaço para buscar e trocar conhecimentos, esclarecer dúvidas e debater ideias. Nesta busca pode-se recorrer a filmes, livros e artigos, que servem de base para as discussões. São quatro semanas (8h), quinzenalmente, às quartas-feiras, das 18 às 20 horas, nos dias 04 e 18 de outubro e 08 e 22 de novembro. Para entender melhor, confira a entrevista de Enéas Canhadas:

Qual é a importância de refletir sobre o sentido da vida?
Penso que seja uma forma de tratar questões fundamentais que os seres humanos carregam intimamente e, mesmo que não falem a respeito, fazem essas indagações. Ouvir dizer que “eu não penso no dia do amanhã” ou “eu não me preocupo com o porque estamos neste mundo” ou “não quero me preocupar com quem sou eu ou quem somos nós”, acredito não ser a verdade. Basta estarmos num velório e, em algum momento, teremos alguém filosofando sobre quem foi e o fato dessa pessoa estar ali. Isso é busca de compreensão de sentidos. A nossa consciência carece de respostas para algum entendimento de tudo que somos e fazemos.

As experiências religiosas contam nessas reflexões que o curso propõe?
As experiência religiosas creio, contam e muito nas reflexões sobre as propostas do curso, na medida em que as pessoas podem trocar ideias a respeito de como compreender suas experiências religiosas ou buscar sentidos sobre a condição do homem como um ser capaz de transcender, isto é, ir além em pensamento sobre coisas e sobre o futuro, mesmo que nós não tenhamos respostas.

Quais os fatores mais limitantes para abrir a mente para espiritualidade?
Como Psicólogo creio que sejam os medos e desconfortos que o assunto gera. Se fosse filósofo, talvez dissesse que é difícil pensar, uma vez que parece não existir conclusões ou respostas significativas. Se fosse engenheiro, talvez dissesse que discutir sentimentos não nos leve a nada. Assim por diante, as dificuldades, indisponibilidade ou resistências ao tema vêm de um tanto que a pessoa possa ter para se sentir incomodada ou confortável frente a questões imponderáveis.

Qual o objetivo do curso?
As trocas de experiências, pois elas sempre serão úteis e formadoras tanto de opiniões, pontos de vista ou mesmo para levar a compreensões mais complexas e elaboradas. Alguém disse sabiamente que a experiência é a única professora que primeiro nos dá a prática das coisas para depois nos levar às teorias. Além disso, as experiências ou vivências de situações permitem que possamos aprender com a diversidade de conhecimentos, aprimorando o autoconhecimento. Já o que sentimos são experiências exclusivas e apenas podem ser narradas, mas não compartilhadas.

Informações
Valor Total: R$ 400,00 em 4 parcelas de R$ 100,00
Participantes do Ideac: R$ 360,00 em 4 parcelas de R$ 90,00.

Inscrições e contato:
Local: Sede do Ideac: Rua Pamplona 1326, cjto. 111, Jardim Paulista, São Paulo
Inscrições pelo e-mail cadastro@ideac.com.br ou pelos telefones (11) 3885-0091e (11) 99946-3554.

Acompanhe nossas redes sociais:
Site http://www.ideac.com.br/
Blog https://ideacblog.wordpress.com/2014/08/05/o-ideac-espera-por-voce/
Facebook https://www.facebook.com/ideac.ideac
Twitter @ideacnovo
Youtube http://migre.me/wfnPX