IDEAC Instituto para o Desenvolvimento Educacional, Artístico e Científico


Deixe um comentário >

Por Maria Celia de Abreu (coordenadora do ideac)

Gostamos de dizer que festas promovidas pelo Ideac são boas para velhos. Foi assim, por exemplo, com o Convescote no Guarujá (junho / 2017), com o Carnaval à Moda Antiga (fevereiro / 2018) e recentemente com a Festa Caipira (junho / 2018).  Muitos nos questionam: o que quer dizer isso?

Isso quer dizer que o foco principal de todo o planejamento da festa é satisfazer o velho, respeitando suas características físicas e emocionais. Adultos jovens, adolescentes e crianças são muito benvindos, mas não são os convidados que mais queremos agradar.

As condições ambientais são pensadas para serem apropriadas e agradáveis para velhos: há assentos disponíveis, há espaço suficiente para não se gerarem filas e aglomerações, as toaletes são alcançados sem escadas, o som ambiente fica num volume audível, mas que permite conversas em tom normal, o horário é vespertino.

Além disso, as músicas são cuidadosamente selecionadas, procurando remeter à memória afetiva do velho; as danças propostas envolvem movimentos simples, pouca habilidade e nenhuma exigência de que se forme um par homem-mulher.  Em brincadeiras coletivas, os envolvidos não se sentem testados, nem são forçados a se exibir a contragosto; se há prendas e presentes, estes são pensados para agradar a pessoas mais velhas, e a homens e mulheres igualmente.

As comidas oferecidas, de qualidade, como se espera, também recebem atenção especial; por exemplo são fáceis de serem consumidas, e frituras não existem.

Cores, aconchego, alegria, liberdade, aceitação de limitações, referências a épocas passadas, estímulos a memórias afetivas, descompromisso com imagem projetada são elementos que estão sempre presentes em altas doses.

Essa tem sido nossa receita. Agora foi revelada. Que surjam então muitas festas e que velhos sejam figuras centrais nelas!

Receita de sucesso

Se depender das mensagens recebidas por vários meios, a Festa Junina foi um sucesso. Ao Ideac e à Comissão Organizadora (Valeska Nakad, Cleide Martins, Ivani Cardoso, Sônia Fuentes e Maria Celia de Abreu) foram enviadas muitas mensagens por whatsapp, e umas poucas por e-mail, dando-nos feedback sobre essa nossa comemoração que honra as raízes do folclore brasileiro.  Foi a primeira vez que o Ideac se aventurou a oferecer uma Festa Junina, sempre fiel à diretriz de atender primordialmente ao idoso, e essas mensagens nos asseguram que valeu a pena!

Compartilhamos com vocês algumas delas:

Mensagens fazendo comentários genéricos:

– A festa foi muito boa!

– Deliciosa festa caipira

– Que delícia de festa junina!

– Foi muito legal!!

– Que bela festança!

– Diverti bastante!

– Fiquei feliz em ter participado da Festa Junina do Ideac.

– Estava muito gostoso! Adorei!

– Adoramos a festa junina! Muito aconchegante e linda. O pessoal estava alegre e dançante.

– Tá tudo um primor e no maior capricho! Parabéns ela organização da festança!

– Linda festa. Parabéns turma trabalhadeira. Adoramos!

– Fizemos valer aquele momento da Festa Junina, com certeza!

 

Houve agradecimentos:

– Obrigada!!! Adorei a festa.

– Agradeço mais esta oportunidade de viver lindos momentos!

– Agradecemos pelo convite e acolhida. Foi muito agradável.

– Minha mãe, minha irmã e eu… agradecemos pela atenção, carinho, acolhida…

 

Alguns comentários destacaram aspectos específicos:

– A Festa Junina do Ideac estava o máximo, caprichada na decoração, doces divinos, animadíssima! Amei!!!

– Privilégio meu estar em companhia de pessoas tão incríveis! Mega feliz com o resultado! Fiquei emocionada com a quadrilha e com a alegria das crianças nas brincadeiras – foi lindo! Parabéns a todas.

– Adorei! Turma como sempre muito animada e divertida. Fora as prendas! Putzgrila!!! As meninas fizeram a festa e voltamos com a sacola cheia! Não eram prendas, eram presentes! Parecia aniversário.

– Adorei as pessoas, adorei o lugar e principalmente a música cantada maravilhosamente juntamente com conjunto.

– O local escolhido é encantador e a organização foi excelente nos enfeites, jogos, músicos e na quadrilha – não dançava em uma desde a infância!

– A quadrilha foi muito legal!

– A Lucy grávida estava demais.

– Parabéns aos dançarinos!!!

– Jader e Deca arrasaram na dança.

– Casal animado, hein?

– Arrasaram!!!

– O grupo é muito simpático e gostei bastante das pessoas com quem conversei. Foi uma tarde agradabilíssima.

 

Também recebemos protesto e sugestão:

– Estava ótima, adorei, pena que terminou cedo…

– Quero mais festa junina!

Anúncios


Deixe um comentário >

Quem curte a magia das festas juninas vai adorar a do Ideac, marcada para este sábado, 23, em parceria com a Faculdade Belas Artes, das 14 às 20 horas, na Vila Mariana. A música ao vivo fica por conta do grupo formado por Escurinho Jr (percussão), Simone Sperança (viola e voz, Marcos Amorim (violão), Toninho (sanfona) e Taís Picinini (viola e voz). Eles apresentam um repertório com clássicos do gênero e também comandam a quadrilha. O convite custa R$ 40,00 para adultos (crianças até 12 anos não pagam), e dá direito à entrada e aos docinhos típicos que vieram especialmente de Tatuí. Funcionarão barraquinhas para jogos divertidos como pescaria, argola, barraca do beijo, correio elegante e boa do palhaço. No local estarão à venda salgados e bebidas, por conta da cantina da Belas Artes, e as fichas para os jogos (R$ 5,00). O endereço é o da Faculdade Belas Artes, à rua Álvaro Alvim, 90, Vila Mariana, onde também serão vendidos convites na hora da festa. Informações pelo telefone (11) 999463554.


Deixe um comentário

O Arraial do Ideac vem aí!

Depois do Carnaval à moda antiga do Ideac, que foi um sucesso, agora teremos nossa Festa Junina em parceria com a Faculdade Belas Artes, dia 23 de junho, das 14 às 20 horas, na Vila Mariana. Vai ter quadrilha, doces típicos, quentão, barraquinhas de jogos, comidinhas especiais e muita diversão garantida para avós, filhos, netos e pessoas de qualquer idade que gostem de um ambiente descontraído e do clima das festas juninas.

 


Deixe um comentário >

Por Maria Celia de Abreu (coordenadora do IDEAC)

O Cenário

Tarde de domingo, casa aconchegante rodeada de grande área verde, amplo terraço decorado com motivos de Carnaval, músicas de Carnavais antigos tocadas numa altura que permitia que as pessoas se ouvissem mutuamente: cenário singelo, bonito, descontraído e alegre.

Os Preparativos e Os Bastidores

Jorge Julião, o diretor de arte; Cleide, a organizadora; Ivani, a divulgadora, e Maria Celia, naquela função chamada de “pau pra toda obra”; Iracema, a anfitriã: essa foi a turma que planejou, divulgou e viabilizou o nosso Carnaval à Antiga.

Cristina, Neusa, Vinicius, Renato, Fernanda, sr. Ronaldo, Idelma, Ademir aderiram e se desdobraram em atender os participantes… sem deixar de se divertir!

Essa equipe suou a camisa, liberou a criatividade, acatou ideias alheias, se entrosou, se apoiou mutuamente quando batia o nervoso, pesquisou músicas, sugeriu fantasias, fez caipirinhas, meteu-se em qualquer função que fosse necessária, recordou, aprendeu… e deu muita risada!

Os Atores

Três lindas meninas, uma quinzena de adultos jovens e uns cinquenta adultos com mais de 60 anos. (Sem contar mais uma vintena que declarou que teria ido se não tivesse algum impedimento, a maioria por estar viajando). Foi uma procura que excedeu a expectativa dos organizadores.

Inscrição feita, começou a agitação dos participantes: era preciso se informar, tomar decisões, ter iniciativas. Como chegar até o local e que fantasia usar provocaram muitos contatos entre os carnavalescos, estabelecendo uma rede de alegres trocas entre amigos, entre conhecidos que há tempos não se falavam e entre desconhecidos.

Fizemos a sugestão das fantasias, mas não esperávamos que uns 90% dos participantes a adotassem! Estavam de fato empenhados em se divertir! Havia desde um toque, como uma tiara de unicórnio, uma maquiagem caprichada, um manto de príncipe, ou uma máscara, até costumes elaborados, completos. Foram pretexto para conhecidos e estranhos se abordarem com elogios, questionamentos e comentários, sempre bem humorados.   

A Função

Nas conversas, foram trocadas inúmeras rememorações de carnavais dos quais se participou ou se desejou participar, de tempos de infância, da dinâmica de famílias de origem, referências à história da própria vida – relatos saudáveis, feitos com leveza, acompanhados de risos, sem ranço de sofridas nostalgias.

Foi retomada – ou então aprendida ali no momento mesmo – a antiga habilidade de soltar serpentinas, fazendo-as se desenrolarem até o finzinho. Bem como o enfeitar-se mutuamente com confetes.

Os participantes foram exímios em recordar as letras das músicas. Dançando, marcando o ritmo em pé, ou estando sentados, cantaram muito. Sentiam-se tacitamente autorizados a desafinar, trocar palavras, só conseguir repetir o estribilho… sabendo que poderiam se dar ao grande prazer de soltar a voz, porque ninguém estava ali para criticar ou achar defeitos.

Todos os que tiveram vontade de dançar… dançaram! Dentro de seus limites físicos, inventaram coreografias, movimentaram pés, pernas, braços, pescoços, sentindo o ritmo, deixando essa batida dirigir os movimentos do corpo, livre, sem preocupação com críticas, com normas, um incentivando o outro.

Todos que tiveram vontade de participar de brincadeiras… participarem! Trenzinho, dança em roda, aula de “Macarena”, distribuição de troféus, com desfile de fantasias sob aplausos…

Todos que quiseram ou precisaram ficar a maior parte do tempo sentados, observando, conversando, fotografando… até mesmo embevecidos com o próprio celular… ficaram! Sem cobranças…

As quatro horas da sessão da matinée carnavalesca acabaram logo. Ninguém queria ir embora…

O que ficou

O Ideac acha que a velhice não é necessariamente um peso; é uma fase em que se pode aproveitar para resgatar sonhos. Propõe-se a facilitar trocas entre pessoas e promover o crescimento pessoal. Numa palavra, a buscar caminhos para se ter a melhor qualidade de vida possível. Esses caminhos apontam para relações socioafetivas de boa qualidade, descartando a solidão, e para o reconhecimento do valor pessoal, se contrapondo à baixa autoestima. O Ideac também reconhece a riqueza da convivência intergeracional, bem como os benefícios de libertar a criatividade e estimular a memória, sem falar na importância de movimentar o corpo.

Nosso Carnaval à Antiga atendeu a tudo isso – e de quebra valorizou uma tradição tipicamente brasileira.

Ideia para pesquisa

Cada uma das pessoas que ali estiveram tem sua história de vida; como seria interessante poder conhecê-las, sobretudo ouvir qual a relação de cada uma com o Carnaval!

Frases avaliativas

Na impossibilidade de colocar aqui e agora o que nosso Carnaval à Antiga significou para cada um, fica o registro de frases soltas, algumas faladas, algumas postadas nas mídias sociais do Ideac – sem esgotá-las, pois muitas se perderam..Que animação danada de boa!

  • Foi ótimo! Parabéns pela festa
  • Parabéns aos organizadores! Estão dando tudo de si!!
  • Parabéns para todos os foliões e folionas
  • Parabéns pela ideia!!!
  • Parabéns pela bela iniciativa
  • Parabéns!
  • Foi 10!!!
  • Parabéns! A festa de Carnaval à Moda Antiga merece nota: 10!!!
  •  Agradeço a todos e em especial aos organizadores
  • Obrigada pela festa ótima
  • Gente querida! Que delícia de festa!!!
  • Foi um ótimo e divertido encontro
  • Foi o melhor carnaval dos últimos tempos
  • Muito bom. Adorei.
  • Foi o primeiro baile de Carnaval da minha vida, aos 82 anos. Adorei.
  • Foi a primeira vez que me fantasiei
  • Estava todo mundo feliz
  • O astral estava bom
  • As fotos revelam um momento bom
  • Bom dia! Hoje é o Dia da Alegria!
  • Pessoal animado!
  • Que lindo Carnaval!
  • Um clima supergostoso e alegre, gostei muito!!!
  • O clima familiar me levou a reviver as matinês da minha infância no interior…
  • Foi muito bom nosso encontro carnavalesco. Sempre vale a possibilidade do encontro.
  • Adorei as fantasias
  • A nossa festa maravilhosa…
  • Adorei muito
  • Um festão!
  • A festa mais linda com pessoas superlindas e queridas!
  • Foi muito bom
  • Que sucesso!!!
  • Conheci novas amigas e dei muita risada com todas
  • Estar com pessoas de diversas idades é uma experiência deliciosa e rica de emoções!
  • Favor repetir ano que vem!!!
  • No próximo ano estarei com vocês!
  • Há de repetir!
  • Ano que vem tem mais. Para repetir o sucesso.
  • Um ano apenas e já virou tradição!

Nossa opinião

Para a equipe organizadora, o Carnaval à Antiga valeu a pena. (Como somos perfeccionistas, ainda queremos melhorar alguns pontos). Não há dúvida que foi um evento delicioso!


Deixe um comentário >

Era 1899 e surgia a primeira marchinha carnavalesca registrada na história do carnaval brasileiro. Chiquinha Gonzaga fez a canção para a escola Rosas de Ouro do Rio de Janeiro, o que impulsionou o sucesso da escola e também se tornou a sua canção mais popular e ajudou a marcar definitivamente esse gênero. Ela morava no bairro do Andaraí onde o cordão Rosa de Ouro tinha a sua sede. Naquela tarde ensaiavam. A maestrina sentou ao piano e compôs a música inspirada no cordão. Bom para nós que até hoje cantamos sua marchinha.

E por que a força das marchinhas continua? João Roberto Kelly disse certa vez:  “O samba-enredo você escuta nos desfiles do sambódromo, mas para os blocos, ruas e nas piadas, para dançar sozinho ou em grupo, o ritmo é a marchinha”. Regina Duarte e Gabriela Duarte interpretaram a autora em uma minissérie de sucesso da TV Globo. Olha só, também é um tema para a fantasia.

Recordar é muito bom e você pode viver isso durante o Carnaval à antiga do Ideac, programado para o próximo domingo (4/02), das 14 às 18 horas em uma chácara na Granja Viana. Você escolhe a fantasia e o preço é R$ 110,00. Inclui toda animação, brincadeiras, comidinhas e bebidas (água, sucos, cerveja e refrigerante).

Informações: Inscrições pelo e-mail cadastro@ideac.com.br ou pelos telefones (11) 3885-0091 e (11) 99946-3554.

E para quem quer recordar, aqui vai nossa Chiquinha e seu O abre alas:

https://www.youtube.com/watch?v=m_vaRKqCDYM


Deixe um comentário >

foto Jader Andrade

Nesses últimos dias, muita gente fez essa pergunta para Maria Celia de Abreu, psicóloga e coordenadora do Ideac. Ela responde:

“No meu convívio profissional de anos com pessoas mais velhas, percebo que há uma lacuna da nossa cultura no setor de lazer. Muitos idosos não encontram ambiente onde possam conviver com outras pessoas, de qualquer idade, se sentindo respeitados, prestigiados e integrados.

As atividades que o Ideac oferece são em sua maioria grupos para reflexão, para aprendizados, para desenvolvimento de habilidades, palestras, textos, enfim, atividades intelectualizadas –  e os participantes fazem avaliações altamente positivas deles.

Vez ou outra, o Ideac oferece eventos com duração de um só dia, que envolvem fazer novos conhecidos, conviver com pessoas já conhecidas, sair da rotina, brincar, se expressar, compartilhar uma refeição, se sentir livre e descompromissado. É emocionante constatar as expressões de felicidade nos rostos dos que foram nos nossos Fotografando no Campo, Meditando no Campo, Dançando no Campo, Fotografando na Praia, Dançando na Praia, Convescote de Natal!

Em breve teremos o evento Carnaval à moda antiga. Há velhos elitistas que torcem o nariz e acham um baile de carnaval brega demais para eles; há os que autenticamente não apreciam marchinhas, fantasias, serpentinas; e há a grande maioria que se diverte, que se envolve com os preparativos, percebe no evento uma oportunidade rara de se divertir com alegria, respeito, criatividade, liberdade; há mesmo idosos que insistem em levar filhos e netos para mostrar como eram os carnavais das suas adolescências!

O Ideac valoriza muito vivências afetivas, pois as pesquisas científicas indicam que esse é o principal fator de saúde e felicidade na longevidade. Esse Carnaval à moda antiga é para isso. Secundariamente, há também o objetivo de valorizar uma tradição brasileira. Financeiramente, o evento é um fracasso para o Ideac; do ponto de vista de proporcionar momentos de alegria e afeto, é um empreendimento de sucesso pleno!

 

Carnaval à antiga do Ideac

Data: 4 de fevereiro, das 14 às 18 horas

Local: Chácara na Granja Viana

Convite: R$ 110,00 com direito a música, batidinhas, comidinhas, cerveja, água e sucos.

Inscrições e maiores informações: pelo e-mail cadastro@ideac.com.br

ou pelos telefones (11) 3885-0091 e 99946-3554


Deixe um comentário >

Vestiu uma camisa listada e saiu por aí… Junte-se a ela uma calça ou macacão branco, um quepe e está pronta sua fantasia de marinheiro ou marinheira. Fácil né? O bom é que você de fantasia entra no clima e concorre ao prêmio para a fantasia mais criativa. Sim, nossa festa vai ter muita diversão. Para quem gosta de exercer a criatividade e não quer ter o trabalho de sair e alugar, seguem outras dicas simples:

  1. Bruxa – Vestido preto, maquiagem bem carregada, se conseguir fazer o chapéu de papelão, melhor ainda. E a cara de má, claro;
  2. Anos 60 – Saia rodada (de bolinhas fica o máximo), coletinho, coque ou cabelo armado, meia soqueta e sapatilha; para ele, o mesmo estilo;
  3. Velho oeste – calca jeans, bota, camisa xadrez e chapéu, para os dois;
  4. Zorro – roupa preta e máscara preta. Olha a moleza dessa;
  5. Espanhola – Blusa ou top preto com uma saia justa vermelha ou outra cor bem viva, acessórios vermelhos e uma flor bem grande no cabelo;
  6. Vampiros – Roupas pretas e capricho na maquiagem, com sangue escorrendo pela boca para complementar o look;
  7. Viúva Porcina – Personagem da Regina Duarte em Roque Santeiro, dá para viajar bastante. O over é o máximo!
  8. Índio – Calça cáqui, blusa cáqui, coloque umas franjas vermelhas, pinte o rosto e pronto!
  9. Vedete – Um vestido preto, meia arrastão;
  10. Pirata – Calça e camiseta (colete melhor ainda) e um lenço amarrado na cabeça.
  11. Cozinheiros – Roupa toda branca ou preta, um avental, uma colher de pau;

Que tal, se animou? E não esqueça, o Carnaval à antiga do Ideac será dia 4 de fevereiro, das 14 às 18 horas, em uma chácara aconchegante na Granja Viana. Convite: R$ 110,00 com direito a música, batidinhas, comidinhas, cerveja, água e sucos.

Inscrições pelo e-mail cadastro@ideac.com.br ou pelos telefones (11) 3885-0091 e 99946-3554.